ADHD-friendlier-classroomEste conjunto de dicas para educadores e parentes de crianças com TDAH, tem objetivo de otimizar o aprendizado, bem como proporcionar ao aluno portador de TDAH, condições favoráveis ao seu pleno desenvolvimento.

É fundamental lembrar-se, no entanto, que com ou sem TDAH, cada aluno é único e tem necessidades distintas, assim, nem todos os itens serão necessários para todos os alunos.

É a dedicação do educador, a proximidade dele com cada aluno, que revelará quais e quantas destas dicas trarão o benefício esperado. 

 

Ajustes e Adaptações Básicas

As configurações a seguir são essenciais para ajudar as crianças com TDAH na sala de aula:

  1.  Reduzir as tarefas, torná-las mais curtas ou dividi-las em partes, etapas.

  2.  Reduzir as tarefas escritas e de copiar.

  3.  Facilitar alternativas distintas de avaliação: oral, com projetos especiais.

  4.  Utilizar suportes complementares na classe como gravadores, calculadoras, computadores, papel carbono, etc.

  5.  Pôr notas das datas em que devem ser entregues as tarefas e trabalhos.

  6.  Complementar, reforçar instruções verbais com informação visual.

  7.  Dar cópias das notas básicas dos capítulos.

  8.  Modificar, simplificar o texto do livro de exercícios.

  9.  Ter em casa uma cópia do texto da escola.


Ajustes e intervenções específicas

No ambiente

  1. Sentar-se na frente, perto do professor.

  2. Sentá-lo longe das distrações.

  3. Limitar as distrações visuais.

  4. Reduzir o nível de ruído quando necessária concentração.

  5. Fazer cartazes e guias para referência do aluno.


Organização

  1. Escrever as tarefas no quadro e explicá-las oralmente.

  2. Usar e seguir o calendário diariamente.

  3. Clarificar as tarefas no final do dia.

  4. Conferir com o professor ou parentes os materiais necessários para levar para casa.

  5. Dar-lhe materiais prontos para arquivar na pasta

  6. Ter pastas, cadernos, etc.,com divisões e cores diferentes.

  7. Ajudar a organizar a mesa e materiais.

  8. Codificar os textos e livros por cor.

  9. Colar uma lista na mesa de: “Coisas por fazer”.

  10. Dividir tarefas longas.

  11. Limitar a quantidade de materiais sobre a mesa da criança.

 
Comunicação e trabalho em equipe
 

  1. As comunicações diárias ou semanais devem ser assinadas pelos pais com gráficos e guias especiais que indiquem o comportamento e se os trabalhos estão completos.

  2. Comunicação telefônica frequente com os pais (Lembre-se de compartilhar as conquistas positivas e as preocupações).

  3. Encontros mais frequentes com os pais para construir uma equipe de trabalho com e para a criança.

  4. Compartilhar com outro professor suas conquistas, atividades, disciplina, trabalho em equipe.

  5. Fazer com que o aluno saiba que estamos interessados em ajudá-lo, dialogar sobre as suas necessidades e incentivar a comunicação aberta.

 

Gestão em sala de aula

  1. Aumentar a estrutura e o monitoramento dos comportamentos concretos.

  2. Definir com clareza as expectativas e as consequências (Verifique-as frequentemente).

  3. Ter proximidade física com o aluno, contato visual permanente.

  4. Ensinar apenas quando haja silêncioe todos estejam atentos.

  5. Elogiar comportamentos positivos.

  6. Utilizar cartas de progresso, contratos para melhorar o comportamento.

  7. Facilitar oportunidades de movimento e descansos frequentes.

  8. Dar apoio extra durante as transições e mudanças do dia.

  9. Permitir que o estudante participe da seleção das consequências e dos prêmios.

  10. Utilizar períodos de reforço curtos com avaliação constante.

 

Ensino e avaliação

  1. Dar tempo extra para processar informações (falar mais lentamente e dar mais “tempo para que o aluno pense e responda”).

  2. Aumentar a quantidade de exemplos, modelos, demonstrações e prática dirigida.

  3. Dar muitas oportunidades para trabalhar com companheiros ou em grupo pequeno.

  4. Oferecer oportunidades para verbalizar na aula, para expressar-se sem temor em um clima seguro sem temer o ridículo.

  5. Analisar o progresso e reforçá-lo: tarefas, trabalho em classe, etc.

  6. Utilizar técnicas multissensoriais.

  7. Propor projetos que permitam a criatividade e expressão.

  8. Permitir o uso de computadores, calculadoras, etc.

  9. Ajustar-se às dificuldades envolvidas nos trabalhos escritos por meio de:
                   a.      Mais tempo disponível para completar.
                   b.      Respostas orais.
                   c.      Ditar as respostas, para que alguém as copie.
                   d.      Permitir que os pais assinem o trabalho depois de algum tempo.

  10. Repetir as instruções dadas.

  11. Destacar os pontos importantes do texto.

  12. Facilitar-lhe com diagramas e resumos da lição.

  13. Dar-lhe gravações com a leitura do texto.

  14. Usar técnicas de perguntas variadas para dar mais oportunidades de resposta.

  15. Fornecer guias simples, organizados, breves.

 

 

Fontes:

Sandra F. Rief M.A., Julie A. Heimburge – “How To Reach & Teach All Students in the Inclusive Classroom: Ready-to-Use Strategies Lessons & Activities Teaching Students with Diverse Learning Needs” J-B Ed: Reach and Teach – Paperback