Banner

abda-facebookabda-twitterabda-youtubeGoogle plus

Terça, Junho 27, 2017

Idiomas

Português
Depoimentos
Participe enviando para nós a sua História Real, em texto ou vídeo. Você que é portador de TDAH, parente, amigo, professor ou terapeuta, conte-nos o seu testemunho. Você pode enviar seu vídeo utilizando o campo link do vídeo (ex: Youtube, Vimeo, Google Vídeos, etc.)

Há mais ou menos um ano meu filho foi diagnosticado portador do TDAH.
Foi difícil, pois até chegar a esse diagnóstico passei por uma série de dificuldades, inclusive dele ser expulso da creche que matriculei com apenas um mês que estava matriculado.
Pessoas dizendo que ele é mal educado, que não tem limites...
Então o levei ao neurologista que enfim diagnosticou o problema e o medicou, mas como o médico me informou o processo é lento.
As escolas vivem fazendo queixas e não sabem lidar com uma criança TDAH.
Como não é previsto na lei, meu filho não tem direito há um olhar diferenciado, pois não é considerado para educação especial.
Enfim espero que as políticas mudem e que ele possa ter um olhar diferenciado para poder se desenvolver melhor.
Tento levar para a escola que está matriculado informes, livros que falam sobre TDAH para que possam estudar, conhecer e melhor trabalhar com ele.
 
Data: 14 fevereiro 2013
Enviado por: Marcia
Rio de Janeiro
"Bom dia me chamo Ana Paula e tenho filhos gêmeos TDAH, isso mesmo os dois são TDAH, descobri quando eles tinham 6 anos de idade quando os professores reclamavam e chamavam na escola sempre, eram inquietos e não prestavam atenção na aula, não deixavam seus amigos de sala estudarem, era simplesmente uma tortura, ninguém queria ficar perto deles, houvia piadinhas de mães que falavam que meus filhos precisavam era de um corretivos, que eram mimados, e para piorar a situação o pai deles é ausente, então eu tive que correr atrás sozinha, tive apoio dos meus pais graças a Deus, meu irmão é professor e ele sempre dizia para que eu buscasse ajuda especializada, qdo descobri o diagnóstico meu mundo caiu achei que eu iria conseguir, pois os dois com o mesmo diagnóstico, meu culpei e achei eles não iriam melhorar, então me aprofundei nos estudos, até hj leio artigos a respeito, tenho grandes dificuldades ainda, não sou chamada como antes na escola, mas há episódios que eu preciso ir buscá-los, a escola foi cruel comigo, discuti com a professora e com a diretora, pois elas diziam que não estavam preparadas para lecionar alunos TDAH, explodi como não estão preparadas, vcs tem o dever de estudar e se aprofundar sobre o assunto, procurei a delegacia de ensino, fiz de tudo para que meus filhos tivessem o mesmo direito dos outros alunos e para piorar a diretora falou que era melhor eu trocá-los de escola, onde tivesse duas salas de aula para separá-los, falei não, não vou fazer isso vcs vão dar aula para os meus sim, pois é a única escola mais próxima da minha casa e eu não tenho condições de pagar particular, então foi melhorando mas eu sempre na escola, sempre questionando a professora, e um dia o Estado enviou uma outra professora para ajudar a a outra professora, melhorou um pouco, o ano letivo terminou e por incrível que pareça a professora veio me agradecer por eu ter tomado essas atitudes e por ela ter conhecido eles, para ela foi muito bom tbm uma bagagem a mais em seu currículo, este já é outra professora espero que eu não tenha problemas, mas se eu tiver com certeza vou atrás dos meus direitos, hj eles tomam três tipos de medicações, dizer que está sendo fácil estarei mentindo, pois há momentos em que estão muito agitados e tenho que fazer de tudo para acalmá-los, uso várias técnicas, dentre elas tento ler bastante para eles, pois tem muita dificuldade, levo muito a parques para que corram e faço de tudo para que eles se sintam amados e como outras crianças normais, só sinto pelo pai que está ausente e não acredita na doença, é uma pena pois eles sentem falta de uma figura paterna, mas converso muito com eles a respeito, hj estou aguardando vaga com a psicóloga pelo SUS, pois não tenho condições de pagar particular e sei que vai ajudar muito eles, fazem o tratamento com a neuro que é maravilhosa, mas sei que precisam de uma boa psicóloga, mas o SUS é verdadeiro martírio, mas quem sabe logo sai as vagas para os dois, pois é tem que ser duas vagas, mas não me desespero e vou fazer de tudo para ajudar a formar grandes homens e sei que eles vão conquistar o espaço deles no mercado de trabalho, não vou desanimar nunca pois tenho um aliado ao meu lado que é DEUS e ele me dará forças para lutar ao lado de meus filhos, esta é um pouco da minha história, tenho muito que contar mas resumi um pouco, mas agradeço aos filhos que tenho, pois eles são muito inteligentes e capazes de conquistarem o quiserem eu creio, desde já agradeço."
 
Data: 13 fevereiro 2013
Enviado por: ANA PAULA CARNEIRO
SANTO ANDRÉ
Eu soube a coisa de 2 anos que me incluía em TDAH.
Antes eu me via como uma pessoa que sempre tinha muitos pensamentos ao mesmo tempo,o que me desviava sempre do que estava fazendo.
Começava a fazer um trabalho e saia logo pra outo e mais outro ,quando me apercebia eu havia queimado o arroz,esquecido de terminar uma leitura importante,saindo atrasada para todos os lugares.
Me sentia sem força de vontade por sempre iniciar coisas que sempre parava no meio.Sempre agitada,falando muito sem parar ,sem respirar,emendando vários assuntos,olhando tudo o que se passava em volta.Me sentia uma pessoa difícil,era chamada de maluca,elétrica,faladeira,etc.apesar de criar meus filhos ,ter um trabalho,tudo parecia tão confuso.
Quando fui diagnosticada com TDAH e passei a tomar medicação específica ,foi como se uma nuvem de poeira muito densa assentasse e eu pudesse ver claramente.Hoje posso lutar com esses impulsos e consigo controlar alguns.Meus alunos foram os que de imediato sentiram isso,disseram que eu estava "calminha".
 
Data: 12 fevereiro 2013
Enviado por: ROSANGELA DA SILVA FERRAZ
niterói
meu e rosaria tenho 35 anos tenho 2 fillhos o mais novo e portador de TDAH DESCOBRI QUANDO ELE TINHA 6 ANOS .POSSO DISER QUE E MUITO DIFICIL PRINCIPALMENTE O PRECONCEITO DA FAMILIA POIS ACHAO QUE E FALTA DE EDUCAÇAO FALTA DE LIMITE.
ENFIM E MUITO SOFRIMENTO .
HOJE MEU FILLHO TEM 14 ANOS FAZ TRATAMENTO COM NEURO ,PICICOLOGA , TERAPIA OCUPACIONAL ,NATAÇAO FORA A MEDICAÇAO VIVO PARA POR CONTA DELE .
.NA ESCOLA ESTA MUIOT ATRASADO POIS TEM DOIS ANOS QUE TENTO JUNTO COM A ESCOLA CONSSEGUIR UMA TUTORA POIS E DIREITO DELE MAS A SECRETARIA DIZ QUE TEM PESSOAS QUE PRECISA MAIS ! ELE E MUITO IMATURO ,NAO TEM MALDADE NENHUMA ,AS VEZES PARECE QUE TEM 3 ANOS DE IDADE ,MAS E SUPER CARINHOSO .
AS VEZES ACHO QUE NÂO VOU AGUENTAR MESMO DEPOIS DE TANTOS ANOS E MUITO TRISTE ,DOLORIDO , SENTIR O PRECONCEITO DAS PESSOAS QUANDO PENSSO ESTOU NO MEU LIMITE DEUS VEM E ME LEVANTA , VIVO POR MEU FILLHO NAO POSSO TRABALLHAR ,NAO SAIO DE CASA ,NAO TENHO VIDA SOCIAL .! MAS TENHO FÈ QUE DEUS VAI NUS DAR A VITORIA
E MUITO DIFICIL MEU FILLHO COM 14 ANOS NAO POSSO MANDAR ELE IR NA PADARIA NA ESQUINA ,MAS JA FOI MUITO PIOR HOJE ELE ESTA MAIS TRNQUILO NA ESCOLA E EM CASA ,A DIRETORA DA ESCOLA ESPLICOU PAR TODOS OS ALUNOS AS DIFICULDADES DELE AI TODOS OS ALUNOS ADOTARAM ELE , AJUDAO , TOMA CONTA DELE ,MAS O GOVERNO ESTADUAL NÂO AJUDA SE ELES LIBERASSE A TUTORA COMCERTZA ELE IRIA DESENVOLVER MUITO NA SALA DE AULA TENHO FÈ QUE MEU FILLHO AINDA VAI SURPREENDER TODOS QUE ACHA IMCAPAZ AMO MEUS FILLHOS









 
Data: 12 fevereiro 2013
Enviado por: ROSARIA RIBEIRO DOS SANTOS
sabara belo horizonte
Tenho uma filha de 7 anos e está no 3ºano (E.Fundamental) e descobrimos através da escola pouco mais de 3 meses que ela tem o TDAH .
no início fiquei muito assustada pela coordenadora da escola estar encaminhando minha filha para uma Neuropediatra, fizemos alguns exames e foi constatado sim..
No Ano passado tive muita dificuldade porque a professora não facilitou nem um pouco e me pressionava pois dizia que minha filha era a única que não tirava nota 90 na sala de aula.. foi um ano letivo muito difícil..
eu sofri muito que fiquei com trauma, queria tirar ela dessa escola..Várias vezes pensei em tirar da escola por completo e deixar em casa para descansar a cabeçinha dela... mas conversando com a neuro ela disse que eu não deveria fugir do problema.. e sim enfrentar junto com minha filhota e vencer junto com ela na mesma escola que ela apresentou dificuldade...
Ela é uma criança normal.. corre, brinca,tem os amigos.. mas na escola não consegue se concentrar nas atividades...
Eu estava mais tranquila pois ela irá começar o tratamento agora no próximo mês junto com o início das aulas.. estava muito confiante..
Mas lendo aqui alguns depoimentos fiquei assustada.. será que isso tem como reverter?
Ví que tem alguns pais com filhos já adolescentes com o mesmo problema... será que isso vai acompanhar minha filha até a adolescência?
 
Data: 11 fevereiro 2013
Enviado por: Jussara
Angra dos Reis
descobri agora esta associação,e fiquei muito contente por saber que tem um lugar onde poderei ver historias reais,sobre o assunto.
sou mãe de um menino com tdah,e estou sofrendo muito,nao estou sabendo lidar com a situação.
meu filho foi diagnosticado aos 8 anos.passei por psicologa, fonoaudióloga,e neurologista,entre outros.
tenho sofrido com escolas,professoras,e a falta de compreensao da família, especialmente do pai ...
li os depoimentos de algumas pessoas,e fiquei com uma duvida,meu filho e um pouco agrecivo, também é uma característica do tdah?
nao estou tendo apoio para o tratamento dele por parte de meu esposo e estou seriamente pensando em abandona-lo com ele.
ele,meu filho, nao aceita que eu o reclame,nao aprende coisas bem simples como escovar os dentes pela manha,ou depois das refeiçoes,e violento com outras crianças,tem roubado pequenas coisas dentro de casa,ele esta com 11 anos,tenho tido o cuidado de estar atenta para que el nao use drogas.
meu esposo disse que nao quer o filho dele usando remédio de doido,por que o farmacêutico, explicou a ele que se tratava de remédio controlado, mais tanho sofrido com isso dentro de casa.
ele nao fica quieto e sempre esta a perturbar a irma mais nova de 6 anos,muitas vezes machucando-a,nao estou conseguido lutar essa batalha e acho que nao estou encontrando forças para isso,se poderem me ajudem por favor
 
Data: 11 fevereiro 2013
Enviado por: marleide costa da rocha
arraial d'ajuda,porto seguro
acabei de descobrir isso.
tenho 30 anos sofrendo, não paro quieto 1 minuto, não consigo estudar, parei na 5 serie embora eu seja muito inteligente.
aprendi a tocar saxfon em 12 aulas de duas hora cada, ja aprendi so auto cad 3dmx photoshop corel draw entre outras coisa ,ja tive 2 empresas e parei ,ja fiz muitas coisa mas sempre paro na metade. sempre que consigo o objto eu desanimo, não por falta de dinheiro ,mas como se eu tivesse que provar algo pra mim mesmo .
ja abandonei 3 firmas, ja tive 2 negocio propio,mas sempre que chega no nivel que eu sempre pesava em alcança eu desanimo nunca entedi o porque;
ate agora recentemente eu fechei uma empressa de comunicação visual que tinha 3 anos de funcionamento, o lucro estava otimo , arumei briga com a mulher , voltei a trabalha numa empresa de segurança ganhnado 10 Vezes menos o que eu arrecadava .
preciso de ajud
ja pensei em furma maconha para relaxa mas nunca tive coragen
não sabia mais o que fazer fui no google e começei a expor meus plobrema ate que acabei descobrindo tdah.
vi uma entrevista no youtube com maria Gabriela de um especialista tenho cereteza que tenho tdah so que ainda não fui num medico nem sei onde ir que medico devo procura primeiro nem o que falar
 
Data: 09 fevereiro 2013
Enviado por: william Pereira Godoi
Santana de Parnaíba
Aos 19 anos recebi o diagnóstico de TDAH.
Mas as sintomas que eu apresentava foram percebidos por uma psicóloga que estava na época avaliando-me para uma orientação vocacional, então solicitou que eu procurasse um neurologista para fazer todos os exames, realizado os exames foi confirmado o meu diagnóstico de TDAH
Mas nesta época nunca havia ouvido ou lido sobre este transtorno, então o médico foi explicando e tudo passou a fazer sentido em minha vida, isto é, percebi que as dificuldades escolares e sociais que tinha, não era porque não me encaixava ou porque não era normal, mas sim porque eu tinha um transtorno que não fora tratado na infância.
Passei por vários médicos neurologistas e psicólogos, na minha infância e adolescência e todos diziam que eu era normal, até hoje me pergunto que médicos são estes, que não perceberam ou não me avaliaram direito, para passar o diagnóstico certo, como podia ser normal, com tantas dificuldades relatas por minha mãe e professores, para mim estes são profissionais defasados, não deveriam estar no mercado de trabalho, tenho isto como uma revolta, pois se fosse avaliada corretamente e recebesse o tratamento, não teria passado, por metade das coisas que passei e talvez hoje meus sintomas poderiam ter diminuído.
Atualmente tenho muitas dificuldades ainda que estão sendo tratadas com medicamentos e terapia.
Na vida adulta tornasse difícil ser TDAH, porque as responsabilidades aumentam é trabalho, estudo, para quem é casado, marido e filhos e a vida social.
As vezes parece que não vamos dar conta de tantas responsabilidades, chega ser frustante, pois conseguimos realizar e organizar tudo passo a passo, mas só conseguimos fazer porque temos o apoio medicamentoso e da psicoterapia, mesmo assim não é fácil.
Atualmente leio muito sobre o transtorno e as últimas novidades em medicamentos e tratamentos. Infelizmente é abordado muito pouco sobre o TDAH ADULTO, deveriam publicar mais artigos e livros a respeito.
 
Data: 07 fevereiro 2013
Enviado por: Cláudia Maciel de Oliveira
Porto Alegre
Meu nome é Tatiana , tenho 37 anos e a minha história é a seguinte:
Tenho 2 filhos hiperativos, isso mesmo, 2 filhos e 1 deles tem transtorno bipolar e já tentou suicídio 2 vezes.
Meus Deus até existir um diagnóstico preciso enfrentei uma verdadeira via crucies, pois foi muito difícil aceitar 1 criança com hiperatividade, imagina 2. Mas eu pensei comigo mesma: "Eles não pediram para nascer assim, Deus me deu eles para eu cuidar e preciso cumprir essa missão até o fim, independente do que eles são".
Corri atrás de tudo que era necessário para o tratamento, médicos especializados (Os melhores), psicólogos, simpósio eu cheguei a ir também. Havia sempre uma certa discriminação , inclusive até da própria família(antes de aparecer o diagnóstico), mal educado, mimado.
Eu me afastei da vida social por inteiro, meus filhos não tinham amigos para saírem para se divertirem (isso infelizmente refletiu um pouco na adolescência deles ), mas não medi esforços p. Deixei minha carreira de trabalho de lado e me dediquei exclusivamente ao ofício de mãe, e não me arrependo nem um pouco por isso .
Hoje em dia meu filho com transtorno bipolar já recebeu alta médica, claro que sempre tem que ter um acompanhamento, hoje em dia ele é uma outra pessoa, com mais responsabilidade, meu amigo e a minha filha ainda continua em tratamento, pois a hiperatividade dela aparaceu mais tarde e ela ainda tem uma certa resistência a medicação, mas já está tomando consciência que precisa muito tomar a medicação para ajudá-la na escola .
Enfim quem se dedica sempre como eu me entreguei de corpo e alma, e aceitei o diagnóstico em 2 filhos, no futuros colhes os frutos , como está acontecendo hoje comigo .
Recomendo sempre aceite seu filho do jeito que ele é, não tente modifica-lo e sim a ajudá-lo
 
Data: 07 fevereiro 2013
Enviado por: Tatiana de Queiroz Rodrigues
Rio de janeiro
Ola meu nome é Andreia, sou mãe T.D.A, ele é ansioso, muito impulsivo, nós sofremos muito descaso dos profissionais da saúde até encontrarmos o Dr. Eduardo ha quem eu só tenho a agradecer, pois através dele,meu pequeno grande homem está melhorando.
eu sempre tive problemas com ele na escola, por causa das suas dificuldades de se concentrar e sua impulsividade, mas não igual ao que passei o ano passado e agora este ano, ele vai ter uma audiência agora dia 20 de fevereiro e eu estou bem assustada, a cidade é pequena, as pessoas não tem informacoes nenhuma sobre esses adolescentes que são tratados apenas como mal educados e burros.
Ele tem 16 anos e está sendo processado pela Diretora da escola porque ela pediu para ele arrumar a carteira e ele estava machucado ,pois no final de semana havia caído de bicicleta, isto aconteceu em agosto.
ele foi arrumando devagar ,pois estava com os bracos e pulsos machucados. ela então sem perceber isto como ele estava demorando empurrou a carteira em cima dele abrindo assim seus machucados.
ele reagiu agredindo ela verbalmente ,ela ainda o provocou dizendo era tudo o que eu queria que vc fizesse então ela o processou, e isto nos causou vários problemas, danos morais e psicológicos, ela não quis fazer a matricula dele na escola , alegando que o nome dele não estava lá.
fomos até a Diretoria de ensino e eles como já conhecem ela vieram com uma desculpa esfarrapada o que nos deixou mais perplexos, a cidade e pequena todos se conhecem e nos e que somos os E.T. pois somos de São Paulo e mudamos para está cidade a três anos.
senti ate um certo incomodo da própria juíza quanto ao meu filho, dizendo que não sabíamos educa-lo e ameacando de manda-lo para Fundacao Casa, o que me deixou arrasada , pois meu filho tem pai e mãe que olham por ele e que estão tentando fazer o melhor por alguém que não é aceito direito nem pela família , realmente eu devo ter muitas dificuldades de educar meu filho porque desde que conheco meu filho por gente luto sozinha , pois as pessoas da família nunca o aceitaram e sempre me condenaram.
tenho um filho de 20 anos que é um doce, e eu sempre falo pra ele como é fácil te amar, difícil e amar o diferente, é aceitar o diferente e viver as diferencas e tentar colocar na sociedade alguém que as vezes inventa seu proprio mundo para nao ter que enfrentar a sociedade e a família julgando ele o tempo todo, aqui vai apenas um desabafo para as autoridades, pois meu filho com T.D.A não devia estar sendo julgado por sua indisciplina por uma juíza que julga criminosos e que não tem pelo que entendi tolerância nenhuma as dificuldades dos diferente e sendo processado por uma diretora que tem dificuldade de aceitar o diferente.
nãodevia estar cuidando de adolescentes que já tem suas duvidas normais pela idade e que ficam um pouco piores sendo adolescentes T.D.A. , fico feliz pelas minhas conquistas , agradeco a vocês e rezem para que meu filho seja tratado com dignidade.
no dia 20 de fevereiro e que esta passagem não atrapalhe a cabecinha dele, e que eu não perca nada que estamos conquistando em nossas vidas , depois deste episódio triste e na minha opinião vergonhoso, ele tem sim arcar com a sua falta de disciplina mas quando for tratado com respeito e isto foi a única coisa que está diretora não fez.
Andreia Bueno Rocha
 
Data: 06 fevereiro 2013
Enviado por: Andreia Bueno Rocha
Salto de Pirapora


Envie o seu depoimento
* Campo obrigatório.
Nome:*
E-mail (não será divulgado):*
Cidade:
Link do vídeo:
Código de segurança:
Colocar o código de segurança aqui:*
Digite aqui seu depoimento:*
O seu depoimento será avaliado, publicado ou não mediante aprovação. Comentários que contenham termos vulgares, palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Citações sobre nomes comerciais de medicação e nomes de profissionais, eventualmente serão excluídos.

Erros de português não impedirão a publicação de um comentário. Caso seu depoimento tenha mais de 1600 caracteres (20 linhas) ele será moderado e editado para publicação.
Ao clicar em enviar, você está concordando que o seu depoimento seja publicado neste Portal e que a ABDA utilize-o em outros materiais de seu uso exclusivo.

Enquete

A partir da sua experiência, marque abaixo qual é o campo de atuação profissional que você considera menos preparado e com maior desconhecimento sobre TDAH?

Cadastro de Profissionais

Clique aqui e veja as regras para se cadastrar no site da ABDA

Saiba mais

Banner

APOIO E PARCERIAS

abp_logo      1598324 714481408570106 749451181 t       acm pq transparente       and_logo      cna_logo     instituto_pazes     manita_logo      marpa       riostoc
       universidade-veiga-de-almeida-158-Thumb