Categoria: Dicas para Educadores

Relação professor, escola, aluno e família. A educação unida para o sucesso!

Relação professor, escola, aluno e família. A educação unida para o sucesso! “Essa pessoa que o professor descreve, parece não ser o meu filho!”; “Deve ser culpa da aula, que não é interessante, porque minha filha se concentra por bastante tempo, nos seus jogos de computador…” Possivelmente, boa parte dos pais de crianças e adolescentes com TDAH, já pensou assim. Também, questionou a Escola e os professores, acerca de suas observações em relação ao filho. Não importa se esses questionamentos ocorrem antes, durante ou depois do diagnóstico do TDAH, porém eles são recorrentes! Mas, por que isso acontece? Simples…é o fato de ser na Escola, que o TDAH mais se manifesta. Culpa da Escola? Culpa do professor? Culpa do sistema educacional brasileiro? Na maioria das vezes, não! O que acontece é que o espaço escolar, é o palco de uma das primeiras experiências sociais do individuo, é o cenário onde ele aprende a exercer suas habilidades, seus valores, seus modelos de comportamento, e por vezes a demonstrar algumas dificuldades. É aí que entra o papel do Professor. O Professor é um dos grandes observadores de nossas crianças, é quem as conhece como poucos, pois consegue manter o olhar individual, mesmo em meio a uma “multidão”. Diferente de outros profissionais, ele é um dos poucos que enxerga a criança e o adolescente em sua rotina, na realidade em que ele...

Read More

TDAH e Escolas.

TDAH e Escolas Antes de qualquer coisa, os professores devem fazer uma avaliação dos pontos abaixo: Qual é a dificuldade mais importante do aluno com TDAH? O que mais atrapalha no desempenho escolar daquele aluno? Ao conseguir responder essas perguntas, o professor cria melhores condições para traçar as estratégias que aplicará em sala de aula. Quando se conhece aquilo que de fato tem atrapalhado o bom desempenho de um determinado aluno fica mais fácil pensar em solução viáveis e eficazes. Depois disso, o segundo passo importante é saber distinguir o que a pessoa com TDAH é capaz de fazer do que ele não é (principalmente ao lidar com comportamentos disruptivos) e assim não criar expectativas irreais. Talvez essa seja uma das partes mais difíceis, mas não desanime, observar o aluno e estudar sobre o TDAH são as melhores formas de se preparar para fazer essa ditanção sobre o que é sintoma e/ou consequencia do transtorno daquilo que não é. Nesse sentido, cuidado para não repreender o tempo todo: sintomas primários NÃO podem ser punidos! Recompensar progressos sucessivos ao invés de esperar pelo comportamento perfeito! Essa é uma dica de ouro! Independente de ser alguem com TDAH, essa dica deve valer para todos e para todo processo de mudança importante. Para o TDAH é ainda mais válido porque tem mais dificuldade em lidar com recompensas a longo prazo. Não deixar flutuações...

Read More

GRUPOS DE APOIO

NO MUNDO DA LUA

Newsletter