Oi,sou Vanessa,tenho 31 anos e tenho TDAH. Sempre tive problemas de aprendizado, me sentia DIFERENTE das outras crianças. Estudava bastante para atingir a média, mas dificilmente conseguia. Minha mamãe foi chamada na escola e aconselhada a me colocar em uma classe especial. Mas como ela não sabia do que se tratava, pensou que o termo ESPECIAL, fosse algo do tipo: SUA FILHA È DEMENTE.Então deixou por isso mesmo, reprovei três vezes e sofri muito com o sentimento de incapacidade. Quando reprovei a quarta vez,parei de estudar por dois anos. Este tempo foi o pior porquê, eu queria muito estudar,sonhava em fazer faculdade na capital,tinha planos de ser jornalista,mas eu simplismente não conseguia. Eu lia umas dez vezes a mesma página do livro e nada de entender. No tempo que fiquei longe da escola, vivi a adolescência problemática,me auto-punia,sofri mesmo, me sentia burra,não entendia. Foi tanto que deixei de ser eu mesma,me perdi de mim, a morte da minha irmã naquela época foi o que me trouxe de volta a vida. pois precisei buscar ajuda psicologica. Com o tempo, voltei aos estudos em um supletivo e passei a acreditar um pouco mais em mim. Mas passou um tempo muito longo até que eu, por vontade própia, e aceitando que eu tinha que buscar ajuda, fui ao médico e entrei em tratamento com medicação para TDAH. Mas até que isso aconteceu, eu mudei 8 vezes de curso sem terminar, sendo 6 de graduação e 2 técnicos. Agora estou estudando enfermagem,e estou passando por uma faze ruim, mas vou continuar mesmo assim, estou em acompanhamento médico. Com toda essa frustração que senti, tive alguns episódios de depressão, até sindrome do pânico, ainda me sinto desconfortavel na sala de aula, mas falei aos professores que tenho TDAH. Enfim, acho que minha história serve para que pais que tenham filhos com este problema, não devem fazer vistas grossas, porque é necessário o tratamento. E não tratar é tirar o direito do seu filho de ser alguém realizado um dia.